Era o ano de 2003 quando começamos a reunir um grupo informal com a finalidade de fazer frente a grande expansão desordenada das políticas culturais no Brasil. Necessário naquele momento formar um grupo coeso e com objetivos definidos para promover a inclusão e desenvolvimento de todos os empreendedores de cultura naquele momento delicado e de incertezas.

Criamos o Jornal Novas Técnicas – JNT , veículo impresso em formato tabloide europeu com 25 mil exemplares e quase 40 páginas distribuídos gratuitamente em todos os aparelhos de arte e cultura do Brasil. Na ocasião por quase 4 anos ganhamos o apoio logístico da SUTACO em SP , do PAB (Programa do Artesanato Brasileiro) em Brasilia e do Sebrae SP, que distribuíam gratuitamente o veículo em vários municípios , ampliando o grau de informações das grandes modificações que estavam acontecendo naquele momento.

Em 2008 publicamos a Revista Contemporânea , especializada em  arte e cultura e com 52 páginas de conteúdo oriundos de todas as partes do Brasil. O veículo foi distribuído gratuitamente por 3 anos, com uma tiragem 20 mil exemplares / mês.

Em meados de 2008 após várias atividades realizadas em prol do desenvolvimento e difusão dos movimentos culturais, inclusive aqueles ligados a inclusão e geração de renda, decidimos em junho daquele ano fundar a instituição que veio a se chamar : ABAC – Agência Brasileira de Apoio á Cultura , ganhando assim um corpo jurídico para facilitar as ações do movimento e oficializar as mesmas perante o poder público.

A Agência Brasileira de Apoio a Cultura, mais conhecida sob a sigla ABAC do Brasil, é uma instituição do terceiro setor, de caráter sócio cultural, sem fins lucrativos,  fundada em junho de 2008 e formada por pessoas e  empreendedores com afinidades e objetivos em comum do meio artístico cultural brasileiro e apoiada por organizações,  empresas do segmento e simpatizantes.

Agora estamos aqui passados quase 17 anos, nossa instituição foi declarada OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Publico) em 2015, pelo Ministério da Justiça do Brasil,  agradecemos o apoio de nossos fundadores, diretores, voluntários, amigos  e empresas que estiveram sempre ao nosso lado e preocupados com o bem comum.

Vamos continuar trabalhando para que nosso povo tenha direito pleno a cultura , ao desenvolvimento pessoal , inclusão social e aprenda a respeitar e proteger o meio ambiente, fundamental para a sobrevivência plena e digna de todos inclusive da cultura.