Patch & Arte teve CLUBE A também

postado em: Ações ABAC | 0

Entre os dias 19 e 21 de outubro, o evento  PATCH & ARTE SP, organizado pela WR Congressos e Feiras foi realizado no Centro de Convenções São Luis, próximo a av. Paulista. E como nos anos anteriores contou com a participação do ClLUBE A , por meios dos seus associados.

Esse ano, nos espaços do CLUBE A , tivemos a participação da empreendedora Cida Kitze da Artes e Ideias e da Mobu que trouxe para o estande  seus kits exclusivos.

Como sempre o evento esteve impecável e muito bem organizado. Publico muito bom, pena que foram poucos dias.

Participe do projeto CLUBE A.

Conheça a Feira Patch & Arte  SP.

Mais um Mundo Mix com a participação do CLUBE A

postado em: Ações ABAC | 0

Clube A , participa do último evento do Mercado Mundo Mix realizado em 20 de outubro no brooklin – SP.

A parceria foi tratada e fechada entre a organização do Mercado Mundo Mix e a administração da ABAC para viabilizar a participação dos associados do projeto CLUBE A aos eventos realizados pelo Mundo Mix em SP.

A escolha da praça General Gentil Falcão situada na AV. Luis Carlos Berrini em importante região empresarial da capital foi muito bem pensada. Entretanto, ficou claro a necessidade de maior empenho na divulgação e marketing do evento , já que parte dos visitantes nem sabiam que o mesmo seria realizado naquela data e estiveram no mesmo por puro acaso.

Importante também seria criar um calendário de retorno naquele local, afim de manter uma assiduidade de compradores potencial da rica economia criativa, gerando com isso renda para as famílias e receita para dezenas de pequenos empreendedores.

Esse é o papel fundamental a ser realizado pelo CLUBE A , fortalecer parcerias que visem prospectar negócios para seus associados.

Conheça o CLUBE A:   http://abacdobrasil.org/site/portfolio/clube-a-negocios-da-economia-criativa/

 

 

Arquiteta inclui artesanato em seus projetos e consegue orçamentos até 50% mais baratos

postado em: ANApress | 0

Há quatro anos, quando se formou em arquitetura pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), a paulista Emanuelle Oliveira, 28, que hoje vive em Cuiabá, esbarrou em um problema: em plena crise, projetos arquitetônicos eram vistos como algo de ‘luxo’, e eram inacessíveis a grande parte da população.

Hoje, unindo um dom de família e uma aptidão antiga, ela integra objetos de decoração artesanais em seu trabalho, o que faz com que ele seja bem mais barato e alcance mais pessoas.

“Eu me formei há quatro anos, e trabalhei por um tempo em escritórios. Mas acho que todo arquiteto sonha em ter o próprio negócio, e eu queria também”, lembra. No início, para incrementar a renda, Emanuelle começou ajudando uma tia, que já trabalha com artesanato e tinha muitas encomendas. “A maioria das coisas que ela faz são coisas pra crianças, quadrinho de bebê, essas coisas. Então eu acabei aprendendo e gostando”.

A partir desta ajuda, ela começou a pensar em como poderia unir as duas paixões e, ao mesmo tempo, popularizar o seu trabalho. “Ano passado teve um congresso no dia do arquiteto, e foi apresentada uma pesquisa que falava que apenas 15% da população têm acesso ao trabalho do arquiteto, porque eles ainda julgam que é um luxo. Então o que eu pensei: como eu faço pra ter acesso a essas pessoas que precisam, que gostam, mas que tem medo até de conversar com um arquiteto porque acham que vai ser muito caro?”.

A resposta estava no artesanato. E Emanuelle descobriu isso depois que foi convidada para um chá de bebê e fez um quadrinho de espírito santo para dar de presente. Quando a mãe soube que a lembrancinha era feita à mão pela própria arquiteta, pediu que ela produzisse também o quadro de maternidade de seu filho.

A segunda cliente foi a maquiadora Cinthia Zanuni, que precisava de um projeto para seu ateliê de maquiagem, mas que não fosse muito caro. Emanuelle sugeriu colocar objetos de decoração artesanais, e ela aceitou.

No ateliê, os quadrinhos da parede, com brincos de lojas parceiras de Cinthia, outros quadros com cílios e os pufes foram feitos pela arquiteta. “Eu sempre gostei de saber como as coisas eram feitas. Se eu chegava na loja e via, por exemplo, um quadro, eu olhava a moldura, via qual material era usado, sempre tinha essa curiosidade… E com a minha tia eu tive contato com a matéria prima, então soube o que poderia usar”.

Além disso, Emanuelle também fez o projeto dos móveis do ateliê, e vai projetar o quarto e a sala da maquiadora.

amp-DSC_0655Tutoriais

Depois dos primeiros projetos, e instigada por Cinthia, Emanuelle decidiu começar a filmar tutoriais de como fazer os objetos e postar em seu Instagram e em seu Facebook. Agora, o próximo passo será criar um canal no Youtube especificamente para publicar estes vídeos, além de dicas de decoração baratas. “Meu foco vai ser, além dos itens de decoração, essas dicas de como você pode mudar um ambiente gastando pouco”, explica.

Para o futuro, Emanuelle espera encontrar clientes abertos a suas ideias, mas continua também com os projetos mais ‘quadrados’. “A Cinthia foi minha primeira cliente que arriscou. Se tiver um cliente que vai aceitar a minha ideia como ela aceitou, com certeza eu vou querer. Porque eu gosto disso de ser mais acessível, de deixar o ambiente com a cara da pessoa, e não aquela decoração capa de revista, que parece que não mora ninguém na casa”.

O que pode ajudar, inclusive, é o preço. No quadrinho que ela deu de presente para o chá de bebê, por exemplo, o gasto foi de R$60, em algo que poderia ser comprado em loja por R$180. Para oferecer essa economia, ela aposta nas ideias. “As pessoas acham, por exemplo, que um quadro só pode ser colocado na parede com moldura. Mas existem formas de expor um quadro na parede sem a moldura, que é o mais caro. Você pode simplesmente imprimir uma imagem em uma qualidade boa, em papel fotográfico, e encontrar uma alternativa diferente pra colocá-la na parede”.

Emanuelle alerta que, no entanto, não são todos os itens de um projeto que são possíveis de fazer com as mãos. Mesmo assim, existem formas de baratear. “Se você me contrata para fazer seu quarto, o guarda-roupa eu não vou conseguir te ajudar a fazer. Mas se você tem um guarda-roupa na sua casa, eu posso te ajudar a dar uma cara nova pra ele”, explica. “Se estiver em um estado pior a gente pode sugerir uma reforma, ou às vezes só uma pintura já dá uma cara totalmente nova para o móvel”, finaliza.

Serviço

Assista aos tutoriais de Emanuelle no FACEBOOK ou INSTAGRAM
Artesanatos de Emanuelle na FAN PAGE
Contato: 65 9 8146-5798

Por: Isabela Mercuri
Olhar Direto

ABAC em negociação com Federação Portuguesa para formar Consórcio Luso Brasileiro de Artesanato

postado em: Ações ABAC | 0

Desde meados de 2017 , durante a feira Mega Artesanal (maior evento de insumos para arte e artesanato do país, que a Agência Brasileira de Apoio á Cultura – ABAC e a Federação Portuguesa de Artes e Ofícios estão a discutir e negociar as bases para formação do Consórcio Luso Brasileiro de Artesanato.

O objetivo do consórcio é viabilizar a participação do genuíno artesanato brasileiro em feiras de Portugal e Europa , como também, viabilizar o caminho inverso recepcionando o autêntico artesanato Português em feiras, eventos e lojas de todo o Brasil.

Trata-se de uma ação inovadora e de vanguarda, a frente do nosso tempo , e portanto requer minuciosos estudos para fortalecer os dois lados na empreitada mercantil.

Selecionar o artesanato brasileiro autêntico e preparar o artesão para voar mais alto mantendo a qualidade produtiva são alguns dos problemas a serem enfrentados pelo consórcio no lado brasileiro fora os custos e legislação complexa e retrógrada para  exportação de artesanato no Brasil.

Já no lado Português , os artesãos daquele país possuem afinidades com  a qualidade, produtividade e responsabilidade, fator decisivo em qualquer negócio, porém talvez seja  preciso adequar o artesanato daquele país ao gosto do consumidor brasileiro, são questões para se pensar.

Muitas barreiras precisarão ser superadas , mas a formação do consórcio promete equacionar esse problemas e viabilizar a intercambio de negócios entre o Brasil e o continente Europeu.

Um gigante adormecido e o velho mundo precisarão conversar e se entender, para um permitir ao outro conhecer o que tem de melhor no artesanato.

Para saber mais sobre o Consórcio Luso Brasileiro de Artesanato , escreva para:  E-mail:  contato@abacdobrasil.org